O tempo

Paris, Outubro, 2008.

No momento que via o grande relógio mecanizado d’ “O Defensor do Tempo”, em Les Halles, uma mulher-a-dias passava com o seu aspirador. Será mesmo defensor, ou aspirador do tempo?

Os livros, os filmes, as galerias, os cafés, a rua de Marguerite Duras, de Agnès Varda, de Simone Beauvoir, as exposições, e mais uma montanha de fragmentos que transporto de Paris, ficam para mais tarde. Numa errância próxima.

3 thoughts on “O tempo

  1. Muitas saudades amiga querida,
    Chegou a ouvir Françoise Hardy por lá?

    Gostava muito de falar contigo, bater papo, só os nossos recados não bastam para te sentir próxima…

    um abração e beijinhos
    Mauro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s