Nuvem que passa

Lídia Aparício, Lisboa, Maio, 2008.

Porque se gosta muito de datas redondas, a faixa comemorativa de 120 de anos lá está na casa onde nasceu Fernando Pessoa. Uma faixa como a nuvem que vai passando. Antes da faixa gostava de ler os versos, aqui ou acolá, pela calçada ou que ,na marginal do Tejo, houvesse uma parede que fosse uma folha.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s