As Vitrines

Eu te vejo sumir por aí
Te avisei que a cidade era um vão
– Dá tua mão 
– Olha prá mim
– Não faz assim
– Não vá lá não

Os letreiros a te colorir
Embaraçam a minha visão
Eu te vi suspirar de aflição
E sair da sessão, frouxa de rir

Já te vejo brincando, gostando de ser
Tua sombra a se multiplicar
Nos teus olhos também posso ver
As vitrines te vendo passar

Na galeria
Cada clarão
É como um dia depois de outro dia
Abrindo um salão
Passas em exposição
Passas sem ver teu vigia
Catando a poesia
Que entornas no chão

Chico Buarque, o Carioca ao Vivo.

2 thoughts on “As Vitrines

  1. Adoro Vitrines, assiti aos seis anos a novela em que ela foi lançada, a novela chamava-se sétimo sentido.
    Mas minha música favorita é Pedaço de mim, a gravação original em dueto com Zizi Possi.
    A terceira estrofe é maravilhosa, dê uma olhada.

    Pedaço de mim
    Chico Buarque/1977-1978
    Para a peça Ópera do malandro, de Chico Buarque

    Oh, pedaço de mim
    Oh, metade afastada de mim
    Leva o teu olhar
    Que a saudade é o pior tormento
    É pior do que o esquecimento
    É pior do que se entrevar

    Oh, pedaço de mim
    Oh, metade exilada de mim
    Leva os teus sinais
    Que a saudade dói como um barco
    Que aos poucos descreve um arco
    E evita atracar no cais

    Oh, pedaço de mim
    Oh, metade arrancada de mim
    Leva o vulto teu
    Que a saudade é o revés de um parto
    A saudade é arrumar o quarto
    Do filho que já morreu

    Oh, pedaço de mim
    Oh, metade amputada de mim
    Leva o que há de ti
    Que a saudade dói latejada
    É assim como uma fisgada
    No membro que já perdi

    Oh, pedaço de mim
    Oh, metade adorada de mim
    Leva os olhos meus
    Que a saudade é o pior castigo
    E eu não quero levar comigo
    A mortalha do amor
    Adeus

    Mas as música apaixonadas favoritas minhas são as que Jards Macalé canta (só ouvindo ele cantar mesmo para ver como ele canta, veja se vc consegue achar a música dele), um dos maiores gênios da música brasileira:

    Sem essa
    Jards Macalé – Duda Machado

    Olha, não é nada disso
    Embora eu não saiba dizer mais nada
    Mas nada além das coisas
    Que sempre ficaram caladas
    Olha, não é nada disso
    É fácil entender
    Ele só veio para me dizer adeus
    Mas o que eu queria mesmo
    Era não ter mais medo de me comover
    Mesmo assim fiquei pensando
    Que a gente podia viajar
    E fazer um álbum de fotografias
    Pra depois queimar, lembrar, queimar
    Tudo ta indo tão depressa
    E não tem mesmo outro jeito
    Mas quanto ao resto, não, não
    Não é nada disso
    Embora eu não saiba dizer mais nada

    Meu Amor Me Agarra & Geme & Treme & Chora & Mata
    Jards Macalé
    Composição: Jards Macalé / Capinam

    Meu Amor É Um Tigre De Papel
    Range, Ruge, Morde
    Mas Não Passa De Um Tigre De Papel
    Numa Sala Ausente Meu Amor Presente
    Me Esconde Entre Os Dentes
    Depois Me Abandona E Vai Definitivamente
    Definitivamente Volta Ilude Desilude
    Range Ruge Rosna
    Velho Tigre De Virtudes
    Nas Selvas De Seu Quarto Entre Florestas Cartas
    Frases Desesperadas Lençóis
    Onde Me Ama
    Furiosas Garras
    Meu Amor Me Agarra & Geme & Treme & Chora & Mata
    Um Tigre De Papel Perdido No Lençóis Da Casa.

    Let’s Play That
    Jards Macalé
    Composição: Jards Macalé / Torquato Neto

    Quando Eu Nasci
    Um Anjo Torto
    Um Anjo Solto
    A Um Anjo Louco
    Veio Ler A Minha Mão
    Não Era Um Anjo Barroco
    Era Um Anjo Muito Solto
    Louco, Louco, Muito Doido
    Com Asas De Avião
    E Eis Que O Anjo Me Disse
    Apertando A Minha Mão
    Entre Um Sorriso De Dentes:
    Vai Bicho
    Desafinar O Coro Dos Contentes.

    Movimento Dos Barcos
    Jards Macalé
    Composição: Jards Macalé – Capinam

    Estou Cansado E Você Também
    Vou Sair Sem Abrir A Porta
    E Não Voltar Nunca Mais
    Desculpe A Paz Que Lhe Roubei
    E O Futuro Esperado Que Nunca Lhe Dei
    É Impossível Levar Um Barco Sem Temporais
    E Suportar A Vida Como Um Momento Além Do Cais
    Que Passa Ao Largo Do Nosso Corpo
    Não Quero Ficar Dando Adeus
    As Coisas Passando
    Eu Quero É Passar Com Elas
    E Não Deixar Nada Mais Do Que Cinzas De Um Cigarro
    E A Marca De Um Abraço No Seu Corpo
    Não, Não Sou Eu Quem Vai Ficar No Porto Chorando
    Lamentando O Eterno Movimento Dos Barcos.

    grande beijinho,
    Mauro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s