Praying for time

George Michael esteve ontem pela primeira vez a actuar em Portugal . A nostalgia dos meus tempos em que ouvia na rádio ou nas cassetes as suas músicas foi a nota definitiva para não perder o concerto. Coleccionei os seus álbuns até parar em canções “from the last century”. Vi a sua imagem de “Faith” a ser queimada em “Listen Without Prejudice” e esperei por “Older”(muito preso às sonoridades do jazz, o mais perfeito que ele fez, a meu ver). De um artista completo, só se pode esperar o profissionalismo de querer vestir as canções mais próximas do osso da emoção das suas letras, assim não podia deixar de ser com George, que sempre garimpou a perfeição. Foi com nostalgia mesmo ( e prestes a somar mais um ano), olhei pelo retrovisor e pensei que só faria sentido eu estar lá também naquele estádio. Não me lembro de ter estado num concerto onde sentisse uma geração tão de perto e tão junta, foi algo estranho. Pode também parecer estranho gostar de George Michael, quando se gosta de rock puro e duro, ou quando se gosta de tantas sonoridades díspares. No entanto, quando se gosta ,primeiro de tudo, a música, e quando a música é bem feita, as prateleiras não interessam muito. Como era de supor a sua crítica declarada ao Bush e Tony Blair foi cantada em alto tom. As plumas não entraram na festa. Nos seus pés rolou sempre uma série de jogos cruzados de luzes e cores,de imagens (de john lennon a marilyn monroe). E numa das músicas (que não me recordo agora o nome), por uns instantes fizemos parte da película de um rolo fotográfico. Músicas dos anos 80 e dos anos 90, as mais roladas, e também uma “paciência” e uma celebração ao amor. Ontem cantei do início até ao fim, a música que, para mim, continua a ser a mais conseguida do George : Praying For Time. Uma música de 1990 que continua a ser muito actual em 2007. No decorrer do “Praying for Time” muitos sóis nasceram e morreram, ficando sempre o horizonte do mar por final, como se tratasse de uma linha de esperança.

These are the days of the open hand
They might just be the last
Look around now
These are the days of the beggars and the choosers

This is the year of the hungry man
Whose place is in the past
Hand in hand with ignorance
And legitimate excuses

The rich declare themselves poor
And most of us are not sure
If we have too much
But we’ll take our chances
‘Cause God’s stopped keeping score
I guess somewhere along the way
He must have let us all out to play
Turned his back and all God’s children
Crept out the back door

And it’s hard to love, there’s so much to hate
Hanging on to hope
When there is no hope to speak of
And the wounded skies above say it’s much too much too late
Well maybe we should all be praying for time

These are the days of the empty hand
Oh, you hold on to what you can
And charity is a coat you wear twice a year

This is the year of the guilty man
Your television takes a stand
And you find that what was over there is over here

So you scream from behind your door
Say what’s mine is mine and not yours
I may have too much but I’ll take my chances
‘Cause God’s stopped keeping score
And you cling to the things they sold you
Did you cover your eyes when they told you
That he can’t come back
‘Cause he has no children to come back for

It’s hard to love there’s so much to hate
Hanging on to hope when there is no hope to speak of
And the wounded skies above say it’s much too late
So maybe we should all be praying for time

5 thoughts on “Praying for time

  1. Foi com satisfação que acabei de ler este mar de palavras, que me fez reviver, de novo, toda aquela noite. É verdade, também estive lá…Foi um momento magnífico, que jamais irei esquecer. Também fui contagiada por todas aqueles luzes, pessoas, mas sobretudo pelo homem que é George Michael, e pelas suas músicas, que ao longo do tempo fizeram parte de grandes momentos da minha vida.
    Por mim passava a noite toda a ouvi-lo, realmente a sua voz é incansável… que pena tenho, em pronunciar todos os bons momentos da vida num tempo passado…

    Obrigado por me fazeres reviver um bom episódio da minha vida!

  2. eu cm apenas 17 anos tbm la fui soltar os meus berros por esse grande senhor!

    sinceramente das melhores musicas e concertos que fui…

    amei!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s