Modos de Ver

Vemos uma paisagem de uma seara com pássaros que levantam voo. Observe-a por um momento. Depois, vire a página.

 

(c) Van Gogh, Seara com Corvos.

(Este é o último quadro que Van Gogh pintou antes de se suicidar.)

É difícil definir exactamente como as palavras modificaram a imagem, mas é certo que o fizeram. Agora, a imagem ilustra a frase.

John Berger, Modos de Ver, Edições 70,pág 31 e 32.

2 thoughts on “Modos de Ver

  1. Já me tem acontecido isto. É certo que depois a frase me fica a soar durante dias, semanas, mas ainda assim a imagem não passa a ilustrá-la. Muda, sim, por efeito da frase, torna-se muito maior, se antes era difícil, depois de uma frase assim torna-se impossível chegar-lhe a todos os cantos, as sombras tornam-se maiores e tudo passa a ser tão insondável que eu não consigo deixar de olhar. Lembro-me de uns retratos de umas crianças que pareciam anjos porque estavam com roupas brancas, as fotografias tinham sido tiradas devagar e eles mexiam-se muito. Vi algumas e depois: era um hospício para miúdos loucos. Depois volta-se atrás, não é?, e demora-se muito mais tempo em cada fotografia, tanto tempo que algumas se tornam inesquecíveis, existenciais, como um ano que tívessemos passado a viver numa cidade estranha e todos os seus souvenirs.

  2. é curioso como a técnica de van gogh se assemelha ao nevoeiro desfocado com que um míope percepciona o redor distante. e o que na “realidade”distorce os ângulos, num quadro de van gogh é lindo…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s